domingo, 16 de junho de 2013

Um Homem de Sonho

Saudações Amantes da Irmandade,
bem, para quem esteve com atenção na nossa pagina do facebook, foi lançado um desafio. Vocês, fãs, criarem uma historia, envolvendo a irmandade, envolvendo este mundo, de guerreiro maravilhosos. Hoje era para deixar uma parte do meu pequeno texto, mas decidi, partilhar uma dos fãs, para incentivar vocês a juntarem se e a enviarem as vossas historias para nós.

Este texto é da nossa querida 
Etelvina Fonseca.

Boas leituras!!


Um homem de sonho

Uma noite quente e húmida, resolvi ir dar um passeio e pensar numa formas de vingar de um monte de merda. Fui andando e andando quando dei por mim, estava num parque resolvi não parar ( mesmo sendo noite e haver tarados nos parques, medo).
A pensar na vida e frustrada como a merda, por o estupor do meu namorado me ter enganado. Pensando em vingança e como o fazer  pagar na mesma moeda, mas sem coragem para o fazer. 
Depois de tanto andar, resolvi acampar num banco para pensar na vida. Quando de repente  um homem espantoso passa a minha  frente a correr com outros dois no seu encalce. Com cabelo branco e a pele tão pálida que mete medo. Cheia de medo escondi-me  atrás de uns arbustos.
Com o frenesim da prosseguição não deram conta que estava alguém a presenciar este espectáculo HORRÍVEL. Pararam uns metros mais a frente. Braços voaram, cabeças rodaram e dois clarões tão intensos que me fez doer os olhos.
A luta acaba e o homem cai ao chão estava exausto e a sangrar. Com passos  pequenos, com cautela e tremula ( e não era de frio, mas sim de medo), fui ver o que se passava com o homem caído e a respirar pesadamente.
Ao chegar mais perto, qual o meu espanto se de longe era bonito de perto era lindo. Num salto pôs-se de pé. Mas com  tantos ferimentos como se movia.  Farejou o ar e de repente parou e olhou  na minha direcção,  eu gelei literalmente.
- Quem és tu, e o que fazes aqui. Merda não previ nenhum humano nas redondezas.
- Eu,eu, eu...
   -   Responde-me merda,- O telefone tocou- Já estou a ir, primeiro tenho que tratar de um assunto. Não, não é nenhum minguante.- E continuou a falar.
     Minguante, de que raio ele esta a falar deve ser o nome de algum daqueles homens, falando nisso onde é que eles estão.
 - Olha-me nos olhos!-disse.
        -    O que queres de  mim? - Ele olhou-me nos olhos e de repente a sua expressão mudou.
-        Os teus olhos, a tua cara, o teu odor- cheirou o ar- é espantoso.
-        Não chegues perto, ou eu grito.-desatei a correr, mas não cheguei longe ele estava mesmo ali a   minha frente. Uma pessoa não corre tão rápido, ou corre
-        Não te vou fazer mal,não tenhas medo.
     Por qualquer razão eu não tive medo e não corri mais. Nem quando ele chegou perto e deu-me um beijo que me fez tremer da cabeça aos pés.
-        Não tenhas medo,-disse ele com uma voz tão sensual- eu não te faço mal.
Eu quietinha,só movia os olhinhos, e lá foi ele, com os lábios quentes e macios mais pareciam veludo. - Quero entrar dentro e tanto que me doí o coiso só de pensar nas coisas que te quero fazer.
Bom e eu comecei a humedecer, mais parecia que um dique se abriu entre as pernas. AHHHHHHHHHHHHHHHHH, o que me está a acontecer, nunca me aconteceu nada disto. Bom, mas também nunca um  homem como este me olhou com desejo.
-        Devíamos ir para um sitio mais privado,- onde moras- podíamos ir para a tua casa?
-        Ééééééé, melhor não.-disse a tremer.
-        Porque não, desejas-me fêmea eu consigo cheirar o teu desejo. E sabes que mais,- chegou-se mais ao meu ouvido-. Cheiras bem.
Afastei me. Compões-te miúda disse para mim mesma, tu não o conheces de lado nenhum. Mas queria muuuuuuiiiiiiittttttooooo o que ele tinha para me dar.
-        Está bem se não queres não te vou forçar a nada fêmea.
-        Não me chames de fêmea,  tenho nome sabe!
-        Sim, mas eu não sei o teu nome fêmea,-disse ele com uma voz tão rouca que mal se percebia,- Eu chamo-me Danger.
Bom o nome é apropriado, ele era um perigo de tão lindo que era. Fiquei especada a olhar para ele . Quando disse:
-        Já  me vou embora, olha-me nos olhos. -Disse. Eu por outro lado em vez de olhar para os olhos,olhei para aquele corpo espectacular e a protuberância que tinha nas calças, estava tão excitado. - Espera, o que, para onde vais. Vamos conversar um pouco.
-        Está bem,como te chamas.
-        Bom eu chamo-me Vina.
-        Bom Vina, prazer em conhecer-te. O que fazes num parque escuro a noite, não tens medo.
-        Bom, não conseguia ficar em casa. O meu ex-boyfriend, enganou-me com uma ex-amiga minha. Cabra do cara......
-        Huhu, isso é marado feme..., – mandei-le um olhar ameaçador- Vina.
-        Pois é eu estou, estava a pensar numa maneira de me vingar mas, já não me interessa pensar mais neles, nem na vingança.
            Dito isso, não pensei em mais nada olhei para ele e senti um calor nas minhas entranhas saltei-lhe para a espinha. - Bom já chega de falar, passemos a acção.
-        Espera, não. Assim não, tu não estas a pensar com clareza. E quando acordares amanhã, não vou querer que te arrependas.
-        Não me vou arrepender, eu estava a lutar com o meu desejo, e adivinha eu também quero o que tu estás a oferecer.- Dito isso levei as mãos, a parte volumosa que ele tinha nas calças.
-        Não, - disse afastando-se.- Fica para a próxima, agora vamos só conversar.
     Fiquei desapontada, pelo que não tive, engoli um imprecaução e conversamos.

    Falamos durante horas. Sobre coisas importantes e sobre coisas menos importantes. Por momentos pensei, como é que estou sentada num parque escuro a conversar com um homem que não conheço de lado nenhum. A vida é mesmo engraçada, no inicio estava com medo agora, estou triste porque ele se quer ir embora. Acompanhou-me até a porta do meu prédio, com uma promessa que assim que a noite caísse ele iria fazer uma visita. Para conversarmos é claro.

3 comentários:

Etelvina! Quem diria que depois de te queixares tanto a dizer que não sabias escrever e mais não sei o quê... Tu querias enganar o pessoal e ficar com os dotes só para ti!
Está altamente!
E adorei o "-Eu, eu, eu".
Parabéns.

Gostei muito !!! A rapariga é toda inspirada! Tens concorrência MorCeGo!!!hehehe Muito bom! Quantas mais melhor! Beijos