quarta-feira, 9 de abril de 2014

Reunião

Saudações Amantes da Irmandade!!!

Saudades minhas? Nop? Sim já contava com isso *beicinho*
Mas apesar de vocês não me quererem e não sentirem a minha falta, eu sou boazinha e deixo-vos mais um fantástico texto da nossa querida, fantástica e maravilhosa...... Barhbara Hillock

Boas leituras!!



O som das badaladas do grande relógio da entrada entra pela porta entreaberta da biblioteca, chamando a atenção de Beth que de bloco e lápis na mão, volta-se e diz:
-Bem, meninas daqui a pouco os nossos rapazes estão a chegar. É melhor começarmos a apontar as conclusões do que temos estado a falar. Jane que achas da disposição das instalações médicas que a Cormia desenhou? Tens algo mais a acrescentar?
-Beth e Cormia eu penso que...- E nisto é interrompida pela entrada súbita de Bella.
-Desculpem o atraso! A minha princesinha estava difícil para adormecer....- Sentando-se na cadeira e olhando para o que estava espalhado pela mesa- Em que posso ajudar?
-Ah...nós agradecemos a tua ajuda mas, sentes-te confortável por deixares a Nalla sozinha? Atenção duvido que aqui dentro lhe aconteça algo de mal! Mas....
Pousando no meio da mesa um pequeno objecto redondo e branco, Bella , responde:
-Se ela chuchar no dedo, eu irei ouvir aqui!
-Muito bem pensado Bella!- Respondeu-lhe Jane. -E sendo assim vamos continuar. Eu acho que as medidas das instalações são as adequadas, mas, seria melhor ampliar um pouco a sala de limpeza e esterilização. Há equipamento de grandes dimensões para colocar nessa zona.
-E em relação aos vestiários? - Pergunta Cormia.
-Para o que precisamos é suficiente . As salas de tratamento estão bem dimensionadas. Da minha parte não vejo mais nada a acrescentar.
Marissa volta-se para Mary e questiona-a:
- E em relação ás salas de acompanhamento psicológico , o que achas?
-Eu penso que será necessário apenas uma, a mais espaçosa onde possamos colocar dois sofás e algumas almofadas pelo chão para as crianças se sentarem. E também me lembrei de colocar umas pinturas alegres nas paredes.
-Mas, que ideia tão acolhedora, Mary!
-Marissa, podíamos usar a outra sala mais pequena, para instalarmos uma mesa e cadeiras para fazer um gabinete polivalente. Podíamos fazer aí o aconselhamento jurídico. Beth devias perguntar ao Saxton se conhece alguma advogada competente da nossa raça, que se queira juntar e ajudar na nossa causa.
-Já estou a apontar Mary! -Responde Beth, escrevendo no bloco.
-Em relação á segurança, devíamos estudar bem a localização das saídas de emergência.
-O meu irmão- diz Bella - quando eu vivia sozinha mandou fazer um túnel que começava na casa e saia bem longe, numa saída dissimulada. E era uma cave pequena, com essa extensão deve-se pensar em mais de uma saída.
-Por breves momentos Bella para. Disfarçadamente Mary pousa-lhe a mão no ombro e ela continua. -Ah pois, podíamos perguntar à Xhex, o que ela pensa ser melhor para o nosso caso. Também temos de ter atenção ao que há em redor, em termos de edifícios, de modo a não haver impedimentos no caso de ser necessária uma fuga.
-Bem pensado Bella, mais uma coisa para eu indagar. -Responde Beth , enquanto aponta mais uma
tarefa no bloco. -Marissa, e o que achas dos quartos?
-As dimensões são razoáveis para se colocar uma cama para a mãe e outra para a sua cria. Acho importante cada quarto ter a sua própria casa-de-banho. Para as fêmeas que chegam é importante um pouco de privacidade. Em termos de imobiliário, devíamos procurar no armazém aqui da Mansão, para ver se há algo que possamos usar de linhas simples. Não nos podemos esquecer de ter de reserva um ou dois beliches, para o caso de haver mais de uma cria a vir com a mãe.
O tilintar da porcelana e o aroma de chá precede a entrada de Fritz na biblioteca. Todas olham para a entrada, e o coro de exclamações ilumina a face do doggen.
-Minhas Senhoras, achei que já estavam aqui á muito tempo, e que de certeza que estariam necessitadas de uma pequena pausa. Se for preciso mais alguma coisa, por favor, é só pedir, que trarei imediatamente.

-Oh Fritz!! O que seria de nós sem ti!! -Sorri-lhe Beth- Bem, vamos aproveitar o chá enquanto está
quente. Venham dai meninas!!
Cada uma pega na sua chávena. Enquanto beberica o seu chá, Mary sugere:-Eu acho que por uma questão de contenção e custos mas também de favorecer a auto-estima, devíamos limitar os elementos da equipa de limpeza no mínimo. Seria interessante envolver as fêmeas que procuram abrigo na confecção das refeições e manutenção do espaço. Não iriam ajudar na ala médica, claro. Mas, se as ocuparmos com algo para fazer com as mãos, será mais fácil não estarem sempre a pensar no que as trouxe até nós. E a ideia que tenho é que a maioria vive isolada nas suas casas, tendo muito pouco contacto com outros elementos da raça, que não sejam os elementos da família.
-Isso é uma grande verdade Mary- Responde-lhe Marissa- E infelizmente tenho a minha própria experiência para confirmar.
-Bem, o Boo já esta no inicio das escadas à espera!! -Ri-se Beth. -Já não devemos ter muito mais tempo, mais alguém se lembra de algo para acrescentar? De toda a maneira assim que tivermos o resto das informações que precisamos, devíamos nos encontrar. Podemos contar com a tua
disponibilidade Cormia para vires ter connosco?
-Sempre que for preciso, Beth. Achas que vou perder uma oportunidade de estar com vocês! -
Cormia sorri efusivamente.
-Escusado será dizer que o Vishous se irá encarregar de colocar todos os detectores necessários.-
Sorri Jane.
-Já estávamos a contar com isso. Não há melhor do que ele para essa tarefa e também sei que...
-MARY!!- A voz de Rhage ecoa pela entrada, parando a conversa.
Mary, despede-se a rir e sai da biblioteca para os braços do seu amado. Num instante o grande átrio
fica cheio de vozes masculinas. Uma a uma , elas vão saindo da biblioteca para lhes dar as boas-vindas.
Descendo as grandes escadas Wrath acompanhado de George passa por todos e cumprimenta-os.
Ao chegar á porta da biblioteca apenas Beth se encontra lá, ainda arrumando as plantas e o bloco de
apontamentos.
-Correu bem a reunião, leelan? -Enquanto se aproxima dela, beijando nos lábios e de cada um dos lados do pescoço. -Tive saudades tuas!....
-Ah sim nallum? E o que pensas fazer em relação a isso?- Sorri Beth e nisto vê o George ser empurrado por mãos invisíveis para fora da biblioteca, a porta fechar-se atrás dele e o trinco ser trancado.
-De certeza que me irei lembrar de algo!! -Sorri-lhe Wrath, mostrando as presas...


*Nasan

2 comentários:

Oh, a nossa Barhbie estava inspirada! Achei giro ver as fêmeas mostrar que são organizadas, trabalhadoras e seres pensantes (porque eu, de algumas delas, desconfio muito... he he he).
Parabéns!
Escusavas era de falar de contenção de custos... a minha patroa vem-me sempre com essa conversa estúpida...

Gostei! Está muito giro, e é uma coisa que não aparece no livro: como surgiu o Lugar Seguro. Está muito bem pensado. Parabéns Barhbara. :D