Na Sombra do Sonho

Na Sombra do Sonho e/ou eBook
Irmandade da Adaga Negra - Volume V
de J. R. Ward; Tradução: Ana Lourenço

Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 662
Editor: Casa das Letras
ISBN: 9789724620411

Sinopse

Em Caldwell, Nova Iorque, a guerra entre vampiros e os seus assassinos agrava-se com o surgimento de um grupo secreto de irmãos - seis vampiros guerreiros, acérrimos defensores da sua raça. Contudo, o gélido coração deste temível e astuto predador aquecerá mesmo contra os seus desejos…

Impiedoso e brilhante, Vishous, filho de Bloodletter, carrega uma temível maldição consigo, a assustadora habilidade de prever o futuro. Foram inúmeras as tormentas e abusos por que passou enquanto crescia no campo de batalha do seu pai e, como qualquer outro membro da Irmandade, não tem interesse no amor ou em emoções, apenas na luta contra a Sociedade Lessening. Contudo, uma imprevista injúria mortal torna-o responsável por uma cirurgiã, Jane Whitcomb, levando-o a revelar a sua dor mais profunda e a sentir o verdadeiro prazer pela primeira vez - até que o destino, que ele não escolheu, o leva a um futuro avassalador que não a inclui mais.


Classificação: 5/5


Cada livro da colecção da Irmandade da Adaga Negra centra um dos Irmãos, ou seja, um dos Guerreiros desta Irmandade. O quinto livro, Na Sombra do Sonho, é sobre Vishous, o Irmão com um segredo escondido.


Vishous, e como já podemos ver em livros anteriores, nutre um sentimento para além da amizade por Butch. No entanto, neste livro vamos ficar a perceber melhor o que se passa.
Neste livro vamos conhecer um lado do Vishous que nunca vimos. Um lado mais sombrio e estranho, que advém da sua juventude e de seu pai. Bloodletter, pai de Vishous, era uma espécie de capitão de exército que exigia horrores do seus soldados. Vishous, apesar de ser seu filho, era tratado como qualquer outro. humilhado como qualquer outro, talvez até mais. Bloodletter exigia dos seus soldados insensibilidade, maldade até, pois acreditava ser esse o factor essencial num soldado de sucesso. E a mãe de Vishous? Este nunca a conhecera, mas esta situação mudaria em breve.
Numa luta com um minguante, Vishous é atingido com um tiro e, sendo descoberto por humanos, é levado para o hospital.
A Dra. Jane Whitcomb é uma cirurgia de sucesso e directora do sector de urgências do hospital de Cadwell. Certo dia Jane opera um paciente no mínimo intrigante. Com seis válvulas no coração em vez de duas, o paciente desperta a investigadora que há em Jane, e esta resolve investigá-lo, mas tudo muda quando é raptada pelo seu paciente.
Vishous não pôde evitar nutrir aquele sentimento de pose pela cirurgia que o operou, principalmente quando, com ela, as suas visões voltam. No entanto, e durante o cativeiro da médica, ambos deixam de ser a vitima e o raptor e algo mais nasce, mas Vishous sabe que terá que a deixar ir e lhe apagar toda a memória, pois tem novas obrigações. Enquanto Primale, Vishous teria que acasalar com todas as Escolhidas - mulheres treinadas pela Virgem Escrivã de modo a procriarem com puros-sangue e darem novo ímpeto à raça - de modo a criar vampiros puro-sangue e aumentar o número de Guerreiros da Irmandade. Mas escolherá Vishous o amor ou o dever?

Aqui está a minha dúvida. Não consigo, decididamente, escolher entre este livro e o Na Sombra do Pecado. Cada um à sua maneira, são livros que nos prendem quase sem nos deixar respirar. Se antes via Vishous como o génio gay da Irmandade, ao ler este livro mudei completamente de opinião. Vishous é um vampiro que nunca soube o que era amor, pois desconhecendo a mãe e tendo um pai que nunca o soube ser realmente, para além de ter tido sempre que lutar pela sua sobrevivência e ser dotado de poderes assustadores, V, como é conhecido, encontra em Butch o sentimento mais próximo do amor que alguma vez sentiu. Mas é com Jane que ele descobre o que é estar, verdadeiramente, apaixonado.
Nesta história vamos poder descobrir a história de Vishous e maravilhar-nos com ela.
Ao descobrir quem é a sua mãe vê-se deparado num beco sem saída. Ser Primale das Escolhidas e sacrificar-se pela raça, o que não era assim tão grave até se ver apaixonado pela cirurgia humana. Confesso que chorei quando Vishous tem que tomar a decisão de expulsar Jane, definitivamente, da sua vida.
A história de Vishous é emocionante e capaz de fazer-nos verter uma lagrimita mais que uma vez durante o livro. E soltar uma ou outra gargalhada com a relação deste com Butch. Um livro a não perder. Completamente!

0 comentários: