Na Sombra da Noite

Na Sombra da Noite
Irmandade da Adaga Negra - Volume I
de J. R. Ward

Seis guerreiros vampiros, amantes perigosos e irmãos de sangue vêm até si neste livro verdadeiramente poderoso.
Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 428
Editor: Casa das Letras
ISBN: 9789724619088

Sinopse


Nas sombras da noite da cidade de Caldwell, em Nova Iorque, trava-se uma guerra territorial entre vampiros e seus caçadores. Ali existe um bando secreto de irmãos sem igual - seis guerreiros vampiros, defensores da sua raça. Mas nenhum deseja mais a morte dos seus inimigos que Wrath, o chefe da Irmandade da Adaga Negra.
Único vampiro de puro-sangue que resta no mundo, Wrath tem contas a ajustar com os matadores que lhe levaram os pais, séculos atrás. Mas quando um dos seus mais estimados combatentes é assassinado - deixando órfã uma filha meio-sangue desconhecedora da sua herança e do seu destino - Wrath tem de tratar do acolhimento da bela fêmea no mundo dos não-mortos.
Transformada por uma inquietude no seu corpo que não conhecia, Beth Randall não tem defesas contra o homem perigosamente excitante que vem visitá-la durante a noite, com os olhos encobertos. As suas histórias de irmandade e sangue assustam-na. Mas o seu toque acende uma fonte crescente que ameaça consumir ambos.



Classificação: 5/5
Cada livro da colecção da Irmandade da Adaga Negra centra um dos Irmãos, ou seja, um dos Guerreiros desta Irmandade. O primeiro livro, Na Sombra da Noite, é sobre Wrath, o Rei-Cego dos Vampiros.

Darius é um Irmão da Irmandade da Adaga Negra que morre vitima de um acidente provocado pelos Minguantes, humanos mortos pela mão do Ómega, cujo único propósito é destruir os vampiros. E quem é o Ómega? Podemos simplificar esta resposta dizendo apenas que, o Ómega é o mal e a Virgem Escrivã, criadora dos vampiros, é o bem.
Continuando, Darius morreu, mas não sem antes pedir um favor a Wrath, - o Rei-Cego dos Vampiros, puro-sangue, que se recusa a assumir o seu reino - que este socorra a sua filha meio-humana, Beth, durante a sua transição, onde Beth se tornaria uma vampira adulta. Wrath nega, e vocês podem questionar-se porquê. Bem, simplesmente quando um vampiro passa pela transição há duas coisas com que vai acordar necessitado. Sangue e sexo. E sendo Beth meio humana, e Wrath um puro-sangue, seria possível que Beth não morresse durante a sua transição, o que é raro entre os vampiros.
Tendo Darius morrido, Wrath volta atrás na sua decisão e resolve ajudar Beth. Enquanto se tenta aproximar desta aos poucos uma coisa que o nosso rei não esperava é que pudesse vir a querer fazer de Beth a sua rainha...

Posso afirmar que este livro não é mais um livro de vampiros. J. R. Ward conseguiu renovar a ideia de vampiro e dar-nos novas perspectivas sobre esta raça que todos achávamos que já não tinha mais ponta por onde se pegar. Vampiros que não se tornam vampiros porque foram mordidos, mas sim por direito de progenitura, mas que vivem anos até atingirem a maturidade suficiente para passarem pela transição. Vampiros que não bebem de humanos, mas sim de outros vampiros. Seres que não têm medo de imagens cristãs, e que comem como nós. O único cliché? Morrem com a luz do sol. No entanto, quase que não nos apercebemos que falamos de um livro de vampiros, pois a história centra-se em guerras travadas, amores e problemas pessoais. Muitos de nós podem mesmo identificar-se com estas personagens. Assédio no trabalho, vicio em drogas e álcool, dilemas de responsabilidade e amor. É um livro que aconselho vivamente, principalmente devido à sua leve escrita.


0 comentários: